Como se proteger das fraudes de Black Friday

A Black Friday é uma tradição dos Estados Unidos e que tem esticado suas fronteiras nos últimos tempos. Lá, na quarta sexta- feira do mês de novembro, após as comemorações de Ação de Graças, as lojas entram em liquidação com preços muito melhores e mais acessíveis. Aqui no Brasil, é difícil ver uma loja que não adere ao movimento de promoções. Mas, em busca desse super desconto, pode ser que você se depare com algumas farsas. Para não cair em fraudes na black friday, conversamos com dois especialistas para dar dicas para não se deixar enganar.

Tenha certeza de que o site é confiável
É extremamente importante saber a confiabilidade de um site antes de comprar algo nele. Mas como verificar isso? O consultor da Topper Minds, Marcos Freitas listou algumas coisinhas que você deve se atentar logo que decidir entrar em um site de comprar.
– Verificar se o site possui selos de segurança, os quais ficam no rodapé da página. Eles podem ser selos do Google, eBit, Site Blindado, Reclame Aqui, PCI e outros.
– Verificar avaliações de usuários no Reclame Aqui. É muito difícil um site ter 100% de avaliações positivas, porém caso seja um caso de muitas reclamações é melhor pensar duas vezes em comprar por lá
– Fazer uma busca no Google com a frase "o site XYZ é confiável?" também é uma forma ótima de saber a opinião de outras pessoas sobre aquela loja.
– O site Zoom é um comparador de preços que mostra apenas sites confiáveis nos seus resultados de busca. Utilizar ele para fazer buscas de produtos durante a Black Friday é bastante recomendável.
– Verificar a lista que o Procon-SP possuí de sites não confiáveis, a qual é atualizada periodicamente: http://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php
Compare os preços
Faça uma pesquisa comparando os textos. Na internet, há comparadores de preço, como Zoom e Buscapé. Ele são os melhores aliados do consumidor. O Zoom, por exemplo, possui em todos produtos um gráfico mostrando o histórico de preço ao longo dos últimos 40 dias e seis meses. Se o produto tiver recentemente subido de preço e abaixado na Black Friday, voltando ao preço anterior, esse é um indício que é a famosa promoção “metade do dobro”.
Cuide do seu computador
Marcos fala ainda que o melhor jeito de proteger o computador é usar um navegador que oferece alto nível de segurança e irá alertar o usuário caso ele entre num site suspeito. Todos os grandes navegadores possuem hoje esses mecanismos
defesa, como o Google Chrome, Microsoft Edge, Firefox e Opera. Ter um antivírus ligado e atualizado também é muito recomendável.
Proteja suas informações financeiras
As informações financeiras também precisam ser muito bem cuidadas na hora de realizar compra num site que a pessoa não tem confiança absoluta. Para isso, utilizar um cartão de crédito virtual é aconselhável. Hoje todos grandes bancos possuem essa opção, que pode ser acessada via internet banking ou aplicativo de celular. Ao ativá-la o banco gera um cartão de crédito virtual "espelho" do cartão de crédito da pessoa.
Cuidado com compras em computadores públicos
Para não correr riscos, é importante usar o navegador anônimo para não nenhum dado ficar registrado. Essa função é disponível em todos os navegadores e é acessada no menu. Verifique se a máquina possui um antivírus atualizado e após usar suas contas, não se esqueça de fechá-las antes de sair.
Use o cartão de crédito virtual
Essa tecnologia é legal, porque possui um número diferente do seu próprio cartão, mas ainda tem o mesmo limite de crédito e que só pode ser utilizado uma vez antes de expirar. Dessa forma ao comprar na internet a pessoa terá a segurança que ninguém poderá utilizar seus dados, caso ocorra do site possuir um vazamento de dados.
Mas e se você não leu essa matéria antes e caiu em alguma fraude? Como prosseguir?
O advogado Sérgio Tannuri fala que nessa época de black friday surgem muitos sites e lojas falsas. Mas o conselho que o especialista dá para as vítimas, é denunciar. Como se trata de um crime de estelionato, deve-se registrar ocorrência na delegacia de crimes virtuais (para que se tome as medidas contra os ciber criminosos) e nos Procons estaduais. “Com a nota fiscal e BO poderá reaver dinheiro na esfera civil. Pesquisar a reputação da empresa, se o site é um ambiente virtual seguro, assim não há dor de cabeça de cair num caso de site falso”.afirma Sérgio. Ele ainda redobra o cuidado com os sites. “O mais importante, é ter cuidado com falsas promoções, em perfis nas redes sociais e domínios .com (ponto com) porque fica mais difícil de rastrear. Conheça o histórico do fornecedor. Pesquise no Google. Sites em nome de pessoas físicas não são confiáveis. Pesquisar é a melhor maneira de não cair em golpes.” finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *