5 obras brasileiras lançadas em 2018

Em 1810, a Coroa Portuguesa estava instalada no Brasil, para quem não se lembra, a família real fugia de Napoleão Bonaparte. Como naquela época não havia muitas coisas para se entreter( principalmente aqui) a leitura era um meio fundamental de se distrair e sobretudo, adquirir conhecimento.
Por isso, para não deixar a corte entediada, o rei D. João VI criou a primeira Biblioteca Nacional do Brasil na cidade do Rio de Janeiro. Milhares de exemplares vieram de Portugal, que ajudaram a fazer desta a maior biblioteca da América Latina e a sétima maior do mundo.
Certamente, muitos brasileiros não sabem que temos em nosso país uma das dez maiores bibliotecas do mundo. Isso porque o hábito de leitura ainda não é tão frequente quanto deveria; Uma pesquisa realizada pelo Instituto Pró- Livro constatou que os brasileiros lêem menos de três livros por ano.
Então, para estimular a leitura e também valorizar nossos escritores contemporâneos, vamos fazer uma lista com 5 livros que foram lançados nesse ano de 2018, apenas por mulheres.

A Serenidade do Zero – Alexandra Vieira de Almeida
Nessa obra, Alexandra Vieira busca o silêncio em meio à agitação do mundo contemporâneo, procurando trazer a realidade e o cotidiano como pontos principais. O livro de poesias composto por 39 poemas traz um diálogo sobre o ponto de vista da autora acerca das angústias e confusões humanas, perpassando pelas batalhas internas do homem e trazendo uma identificação do leitor com seus versos.
Para produzir seus poemas, Alexandra teve como influência as poesias de Manoel de Barros e a meditação oriental. Além disso, nomes como Rimbaud, Alberto Caeiro, Olga Savary e Astrid Cabral surgem homenageados na obra.
A autora é Doutora Doutora em Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, professora Secretaria do Estado de Educação e tutora de ensino superior a distância na UFF. Alexandra também realiza projetos sociais envolvendo literatura nas escolas públicas para crianças carentes.

Preço: R$40,00
Páginas: 100
O menino que comeu uma biblioteca – Leticia Wierzchowski
A autora da grande obra “ A casa das sete mulheres”, deixa o Rio Grande do Sul para narrar a uma história ambientada na Segunda Guerra Mundial. Josik é um menino que vive em uma casa velha no interior da Polônia e Eva uma garota que vive com sua avó em uma cidadezinha do Uruguai. Enquanto o passatempo do menino e de seu avô é mergulhar na literatura, a menina se distrai com as cartas de tarô da avó. E é assim que as vidas de Eva e Josik se cruzam.
Em uma tarde de verão sob uma figueira centenária, Eva vê nas cartas a imagem de Jósik comendo a biblioteca de seu avô Michael. Ele estava escondido numa sala lotada de livros. Do lado de fora, o exército nazista avançava com seus tanques e soldados armados de fuzil.A partir daí, a menina começa a acompanhar os infortúnios de Jósik e luta para mudar seu próprio destino, também marcado pela falta de perspectiva e tristeza. A obra é uma fábula sobre a guerra, a literatura e o amor.
Leticia Wierzchowski é gaúcha e escreveu a trilogia “A casa das sete mulheres”. Estreou na literatura em 1998 com a obra “ O anjo e o resto de nós”. Atualmente, ela tem 28 livros publicados, tanto aqui no Brasil como em Portugal, Croácia, Espanha, Alemanha, França, Itália, Grécia Sérvia e Montenegro.

Preço: R$39,90
Páginas: 280
Um espelho para Vênus – Cristiane Schneckenberg
A ginecologista Cristiane Schneckenberg trás uma obra que busca estimular em seus leitores uma descoberta sobre a própria sexualidade. É fato que a mulher tem muito mais incógnitas e desconhecimento sobre seus desejos e prazeres do que os homens, por isso a autora traz em sua narrativa a quebra de preconceitos, estigmas e mentiras, ressaltando a importância de ter conhecimento sobre o próprio corpo.
Um espelho para Vênus é uma história contada a partir de fatos da vida real pelo olhar da personagem Sara, uma médica que busca o próprio erotismo, autoestima e sexualidade, se desvencilhando do papel submisso imposto pelo namorado Miguel. A personagem tenta se encontrar através desses aspectos para entender melhor o que é o amor e descobrir uma versão erótica que nem imaginava.
Cristiane traz em seu livro assuntos complexos da nossa sociedade como questionamentos sobre o que fazer quando a mulher não se sente excitada? As fantasias sexuais devem ser condenadas ou exaltadas? Filmes e livros pornográficos seriam uma nova forma de atiçar o desejo das mulheres? Como uma mulher sabe que atingiu o clímax, se nunca o fez antes? Afinal, os seres humanos são mono ou poligâmicos? Mostrando que a mulher moderna pode buscar suas próprias formas de prazer.

Preço: R$35,00
Páginas: 227
Todo mundo merece morrer – Clarissa Wolff
Em seu primeiro livro, a escritora Clarissa Wolff se inspira na ganhadora do Pulitzer Jennifer Egan e escreve sobre um crime na linha verde do metrô de São Paulo, que conecta treze vidas, treze personagens dos tempos modernos que vivem dentro de suas próprias certezas. Mas esse grupo tem mais em comum que o fato de ter presenciado um assassinato no vagão, todos eles escondem um caráter duvidoso.
Nesta obra, Clarissa entrega diferentes narrativas apresentar um “sobrevivente” do atentado: desde o padre pedófilo, que conta sua versão tal qual um capítulo da Bíblia, passando pelo grupo de jovens traficantes do colégio, em uma narrativa cheia de gírias e dialetos, até a história em terceira pessoa de uma mãe que odeia o filho porque o marido não a deixou abortar.

Preço: R$ 29,90
Páginas: 168
A perdição do Barão – Lucy Vargas
Para quem gosta dos romances de época, este é para você. Fã, de Jane Austen, Lucy Vargas traz uma obra com ares inspirados na escritora inglesa. “A perdição do Barão” conta a história de Patrick, um aristocrata inglês que tem a certeza de que o amor é o maior perigo já inventado. Sua mãe o abandonou ainda menino para viver com outro homem e nunca mais voltou. O pai coleciona bastardos. E ele, Patrick, é apaixonado por Hanna, uma mulher que não corresponde aos seus sentimentos. Ou pelo menos é nisso que Patrick acredita. Por ironia do destino, eles acabam casando como parte de um acordo. Imerso em incertezas, mas incapaz de conter o que sente, o barão está empenhado em conquistar sua esposa.
Lucy é formada em jornalismo foi a primeira autora primeira autora independente brasileira a ser convidada pelo Google a publicar na PlayStore e fez bastante sucesso no mercado literário de autopublicação, vendendo mais de 50 mil e-books.

Preço: R$ 37,90
Páginas: 378

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *