Tratamentos para estrias

As estrias nada mais são do que um estiramento da pele, em que as fibras e colágenos da pele são destruídas. No início, elas possuem um aspecto avermelhado e com o tempo, essas linhas podem ficar esbranquiçadas.

Por ter essas cores diferentes do tom da pele, elas podem incomodar bastante. Nas mulheres, elas aparecem com mais frequência nos glúteos, coxas, abdômen e seios, enquanto nos homens é mais comum surgirem nas costas, ombros e braços.

E para quem sofria com as estrias, antigamente não havia tratamentos que pudessem reverter o aparecimento delas. Mas hoje em dia esse problema já tem solução, mas vamos ressaltar aqui que é importante encontrar o tratamento adequado. Deve-se associar as técnicas de acordo com a cor e o aspecto das cicatrizes, todo esse combo pode garantir até 80% do desaparecimento delas.

 

Segundo o dermatologista Fernando Macedo, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia fala que primeiro deve ser feita uma análise médica para identificar qual o melhor procedimento para cada tipo de estria.

Ele ainda completa que há técnicas muito modernas e eficazes, principalmente para tratar as estrias mais antigas. “A técnica gera um profundo depósito de calor nas camadas da pele. Dessa forma, leva a contração imediata do tecido, deixando a pele mais firme. O dano térmico causado estimula a regeneração e formação de novo colágeno, melhorando o aspecto das estrias”, destaca Fernando Sperandéo Macedo.

As estrias vermelhas ou arroxeadas são as mais fáceis de tratar, isso porque o tecido não foi totalmente prejudicado e há inflamação do local. Elas podem ser tratadas com outros lasers, luz intensa pulsada, e também microagulhamento.

“Muitas vezes gosto de associar diferentes lasers e até microagulhamento na mesma sessão para otimizar resultados”, comenta Dr Fernando.

O microagulhamento também é uma ótima opção para amenizar as estrias. Ao fazer minúsculos furos na pele, faz com que o organismo produza mais colágeno e elastina, componentes que são essenciais para a firmeza da pele. “Esse tratamento é ótimo e vale lembrar que antes de qualquer procedimento, o paciente deve passar pelo especialista, a consulta é garantia da escolha correta técnica a ser usada”, pontua o dermatologista.

Para quem não tem estrias, fica a dica para a prevenção. “Evitar o ganho de peso rápido e manter a pele sempre muito hidratada são formas de evitar que as estrias se formem na pele”, finaliza Fernando Macedo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *